Entrevista a Rodrigo Cabrita

24-08-2016 17:48

Fotografia tirada por Ana C C Lio

 

Uma entrevista com um dos melhores fotojornalistas portugueses sobre a profissão. Nesta conversa com Rodrigo Cabrita tentámos descobrir quais foram os melhores momentos da carreira, bem como as fotografias que ainda guarda na memória. 

 

"Gostava de ter uma fotografia que mudasse a vida de uma pessoa para melhor"

 

Como nasceu o gosto pela fotografia?

A paixão pela fotografia nasceu com uma máquina pequena. Peguei nela e comecei a fotografar tudo o que estava à minha frente. No secundário, tive a certeza que queria continuar a desenvolver a minha paixão. Tirei um curso profissional aos 21 anos. No entanto, a melhor formação que se pode ter é andar na rua a fotografar.

Como encaras o aparecimento de novos equipamentos tecnológicos?

As novas tecnologias são um problema para os profissionais quando são utilizadas por amadores que pretendem fazer trabalho profissional, mas temos de nos reinventar, e assegurar padrões de qualidade altos que nos distinga.

Qual é a mensagem que pretendes transmitir nas fotografias?

Gosto de mostrar a minha visão do mundo e as coisas como elas são. As fotografias têm carácter informativo, mas também um lado divertido. Devemos ser equilibrados na mensagem que passamos, embora haja sempre um sentido nas fotografias.

Qual foi a fotografia que gostaste mais de tirar?

No Europeu de 2004, abdiquei de fotografar os jogadores da Grécia no momento de receberem a taça de campeões da Europa. Na altura dos festejos mostro o lado português, representado pelo Brassard abraçado ao Rui Costa (a chorar) debaixo dos sinais da festa grega, oferecendo uma imagem poética da derrota portuguesa. 

E a que te deu mais dificuldade?

Quando tive de fotografar situações relacionadas com crimes.

Qual a fotografia que ainda não está no portfolio?

Gostava de ter uma fotografia que mudasse a vida de alguém para melhor. Procuro temas relacionados com causas sociais porque pode ter efeitos positivos.

A fotografia pode mesmo mudar a vida de alguém?

Em determinados casos, mas raramente acontece.

Quais são os desafios do fotojornalismo?

A estrutura, em grande parte dos jornais e revistas portuguesas, não está concebida para potenciar a qualidade dos fotógrafos portugueses, mesmo daqueles que receberam prestigiados prémios internacionais. No entanto, temos em Portugal imensos fotógrafos que não param de lutar por um fotojornalismo português com qualidade.

Portugal é um bom lugar para tirar fotografias?

Sim, tem uma luz fantástica. Os cenários das regiões são diversificadas, permitindo tirar boas fotografias num curto espaço geográfico.

O que é necessário para se tirar uma boa fotografia?

 Instinto e sorte. 

Contactos

Interview Request Olhardireitomedia@gmail.com